sábado, 5 de janeiro de 2008

sobem as bolhas da igualdade

na clareira do incenso,

vejo que sobem as bolhas da igualdade,

não me sinto totalmente preso,

nem me sinto em total liberdade.


na frente estão dois moldes apaixonantes

que se abrem em luz e energia,

como que dois fogos vibrantes

enlaçados entre os pólos da magia.


na língua de água que a Mãe lhes deu

dizem saber o que necessito do passado

gestos de quem quer realizar a paz que lhes prometeu.


ao sentir tamanha essência, desperto do sonho vidente,

terra, ar, fogo e agua,

elementos puros da natureza que em mim está presente.



Gourim,Serra da Arada,Outubro2007,poema de Enlaçador Eléctrico

Nenhum comentário:

Postar um comentário