sexta-feira, 16 de novembro de 2007

teu corpo sente enquanto adormecido.

Teu corpo sente enquanto adormecido.

Bem próximo ao meu em igualdade.

Reage ao pensamento e impulso da realidade

que está inerente a um acordado sonho vivido.


São momentos que ocupam um espaço

dentro dos seus limites opostos,

o de deixar sentir os corpos frios e dispostos

a reactivarem o viver de novo o laço.


São corpos, como desejos passados,

Eficazes momentos da memoria sensata,

enquanto enrolados nos cobertores molhados,


É o mel saboroso de tudo o que de liquido vivemos,

É o amor que chega sendo uma bala de prata.

Um amor que está pronto a fazer ressurgir o bem que pretendemos.





Lanoualle,França,Outubro2007,poema de Enlaçador Eléctrico